fbpx
como_lidar_com_ansiedade
Desenvolvimento Pessoal,  Produtividade

Como lidar com a ansiedade no dia a dia

Pouco tempo atrás eu identifiquei um problema na minha rotina: estava andando super ansiosa, e isso estava atrapalhando o meu rendimento no trabalho e o meu desempenho nas tarefas de casa. Não chegava a ser uma ansiedade crônica ou algo mais preocupante, mas ainda assim era uma sensação incômoda e frequente, e que estava desviando a minha energia e roubando o meu foco das coisas que realmente importavam. Eu acabava gastando horas com distrações banais e no fim do dia não tinha rendido o que precisava.

Conversando com algumas amigas, eu percebi que não era a única a me sentir assim. Algo que parece óbvio, mas nem sempre é: conversar sobre as nossas questões é sempre bom pra ver que não estamos sozinhas! Então eu comecei a pensar em pequenas atitudes que poderia implementar na minha rotina para passar a lidar melhor com isso, e que as pessoas à minha volta também pudessem fazer. Experimentei algumas coisas, e eis aqui 3 das descobertas que funcionaram pra mim:

1 | Atividade física

Eu não quero ser fitchata, mas já venho falando isso há um tempo: não dá pra viver sem exercício. Esse ano eu passei de semi sedentária pra alguém que treina de 4 a 6 vezes por semana e não quero mais outra vida. Em alguns meses, os benefícios são perceptíveis tanto no meu corpo quanto na minha mente, e entre eles estão: mais disposição e condicionamento físico; diminuição no percentual de gordura; novas amizades e interação social – algo que tem sido mais raro pra mim! 😀 -; além do que talvez seja a parte mais importante no meu momento atual: a atividade física tem me tornado uma profissional melhor (mas quero falar mais sobre isso em outro post).

O fato é que mexer o corpo desencadeia reações químicas no cérebro, responsáveis por sensações de bem-estar e alegria. Os níveis de estresse diminuem, você fica mais focada e passa a pensar com mais clareza. E a boa notícia é que você nem precisa virar uma super atleta: movimentos simples são o suficiente pra alimentar o seu cérebro. Pra saber mais, eu recomendo muito essa TED da Wendy Suzuki, sobre a qual já falei aqui no blog:

Aqui em casa as coisas mudaram depois que Fe e eu voltamos a fazer exercício regularmente. A hora do treino tem sido nosso momento de recarregar as baterias, de sentir orgulho do nosso progresso (estamos evoluindo!), e a gente sempre volta renovado. Ta sendo tão bom que eu to realmente me policiando pra não fazer a pregação do crossfit o tempo todo 😂 Mas o fato é que hoje eu me sinto muito melhor, e quero que você e todo mundo que importa pra mim se sinta da mesma forma. Então levanta aí e vai fazer alguma coisa! 👊🏻

2 | Abraçar o medo

A gente sabe que ansiedade é medo de um futuro que pode dar errado. E o que a gente faz na vida é basicamente tentar evitar situações que nos dão medo, por saber que vão gerar ansiedade e receio de fracassar. Agora, você já pensou em fazer o contrário? Encarar o que te dá medo até que aquilo não pareça mais tão grande quanto parecia antes?

Percebi nos meus experimentos que, toda vez que eu dissecava os motivos mais profundos da minha ansiedade, via que aquilo que me dava medo na realidade não era tão horrível assim. Imaginando que o pior cenário acontecesse, sempre havia uma saída. Uma nota baixa numa prova, no máximo viraria uma DP… Um desequilíbrio nas contas seria resolvido no próximo mês, ou com uma renda extra… E a lista se estende.

Se você está ansiosa com algum aspecto da vida ou alguma situação que está vivendo, tente esse exercício. Ponha no papel aquilo que te assusta e qual o pior cenário que poderia se estender, caso seu medo se concretizasse. O que você poderia fazer pra resolver? Tenho certeza que as respostas serão mais simples do que você imaginava antes de realmente pensar nelas. O que te assusta, em geral, é muito maior na sua mente do que de fato é na realidade.

3 | Produzir

Como disse no início do post, quando ansiosa, eu costumava me ocupar das coisas mais bobas, e deixar o que era importante de lado. Até que eu resolvi experimentar me ocupar com um outro tipo de atividade: aquelas que faziam eu me movimentar (pra gastar energia e não ficar parada num lugar só, com a cabeça a mil), e que iam de fato me trazer algum tipo de benefício.

Aqui em casa, o que eu descobri que aliviava minha ansiedade era organizar e arrumar os cômodos. Como eu trabalho aqui, a linha entre o profissional e o pessoal acaba sendo muito tênue, e de vez em quando rola uma disparidade entre as prioridades. No meu caso, a casa estava perdendo a briga porque eu tenho uma dificuldade natural de fazer serviços domésticos mesmo haha Então tratei de começar a equilibrar essa balança fazendo pequenas tarefas ao longo do dia, nos meus picos de ansiedade. Isso inclui: lavar e guardar louças e roupas, limpar algum móvel, guardar objetos espalhados, jogar fora algo que não serve mais… Pequenas coisas que, acumuladas, dão um bom resultado final no ambiente.

Além disso ser uma “distração positiva”, estar em um ambiente organizado contribui demais pra uma vida com menos ansiedade e estresse. Mesmo que não sejam domésticas, sei que você tem tarefas que talvez esteja adiando e que, se dedicasse uns minutinhos por dia à elas, resolveria num instante. Aproveite pra fazer essas coisas quando estiver ansiosa e mate dois coelhos de uma vez 🙂

NÃO ESQUEÇA:

Esse post foi escrito pra pessoas que, como eu, sofrem com uma ansiedade moderada, comum à todo mundo. Esses passos diários podem complementar um possível tratamento e trazer benefícios visíveis pro dia a dia de quem tem um problema mais sério, mas o ideal é sempre procurar ajuda psicológica e fazer um acompanhamento de perto.

Agora eu quero saber: o que você faz pra lidar melhor com aquela ansiedade que bate de vez em quanto? Aquele frio na barriga que dá quando você vai se jogar em algum projeto? Me conta aqui no blog ou lá no Instagram. Conversando e trocando experiências a gente cresce juntas!

divisor

Quer receber conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada? 💕 Deixe seu email aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *